Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007

DESAFIO

O meu caro amigo José Gonçalves apresentou-me o seguinte desafio:

1-Pegar num livro que se tenha à mão, sem procurar nem ir buscar aquele que se prefere.

2-Abrir na página 161.

3-Procurar a 5ª frase completa.

4-Identificar o livro e  o/a  autor/a do mesmo.

5-Passar o desafio a cinco bloggers.

Livro: " Biografía No Autorizada del Vaticano - Nazismo, Finanzas Secretas, Mafia, Diplomacia Oculta y Crímenes en la Santa Sede".

Autor: Santiago Camacho.

Editora:mr.ediciones

Frase:"Gladio forjó secretas alianzas entre la mafia y ciertos funcionarios del Vaticano y reclutó a fascistas y mafiosi para perpetrar atentados de los que luego era culpada la izquierda."

Passo o desafio a:

I - Vladimir da Lapa

II - Pitanga Doce

III - Bejar , mis raíces lejanas

IV - Galisivorg

V - Árabe

Sejam felizes!

 

sinto-me: Divertida...
música/livro: Gilbert Bécaud - "L´orange"
publicado por São Banza às 12:42
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (10) | favorito
|
Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

REGRESSO

VIVA!

Cá estou de novo, após o casamento!

Para quem me deixou mensagem, os meus profundos agradecimentos!!

"Bejinhos"

sinto-me: Contente.
música/livro: Marcha Nupcial
publicado por São Banza às 19:32
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (20) | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

AUSÊNCIA POUCA

Para vós, nestes curtos dias de ausência, com o meu abraço:
sinto-me: Bem.
música/livro: José Afonso- "A Morte Saiu À RUA"
publicado por São Banza às 12:58
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (11) | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

A KATE MCCANN

Segundo li , parece que pretende abandonar a medicina para se dedicar a cuidar de crianças.

Devo dizer que me surpreende muito esta sua intenção, para mim, peregrina de todo.

Gostaria de saber as motivações para esta decisão.

São remorsos? ... É  conselho da vossa vasta equipa de assessores, neste caso, de imagem?... Que se passa por detrás dessa vossa fachada tão bem montada e respaldada até por Gordon Brown? A propósito será que ele se interessa tanto pelas 800 crianças desaparecidas em Inglaterra só nos primeiros vinte dias após o crime do Algarve como por Madeleine?

Não percebo como é que uma mãe que , para se ir divertir com amigos, dá sedativos a crianças tão pequenas abandonando-as durante horas num país estrangeiro se lembra agora de ir cuidar de crianças.

E ainda me é mais difícil compreender quando essa mesma mãe utliza duas crianças de tenra idade no circo mediático que provocou e as entrega a estranhos para andar a passear-se pela Europa, de mão dada com um pai que também não me convence.

Só espero que as pessoas  conservem algum bom senso e não deixem crianças sob a sua (ir)responsabilidade!!

Por agora, nada mais!

sinto-me: Estarrecida.
música/livro: Leonard Cohen-"Everybody Knows"
publicado por São Banza às 13:13
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (25) | favorito
|
Terça-feira, 23 de Outubro de 2007

POBREZA EM PORTUGAL

Assisti ontem no programa "Prós e Contras" ao Diagnóstico da Pobreza em Portugal. Que dado ter trabalhado dezenas de anos na área, me interessou muito.Aliás, coordenei e supervisionei vários Projectos de Luta contra a Pobreza.
Dos quatro interventores principais o único que desconheço é o sociólogo, porque Bruto da Costa, Edmundo Martinho e Eugénio Fonseca são pessoas que conheço desde longos anos. E no público reconheci colegas com que trabalhei lado a lado.
Mais uma vez, toda a intervenção de Alfredo Bruto da Costa foi brilhante, baseada numa excelente argumentação e com a coragem suficiente para denunciar a natureza maléfica deste sistema de mundialização selvagem que precipita nos vários graus do abismo da pobreza quem é atirado para a exclusão, seja por que motivo for.
E é muito fácil chegar à exclusão. Como dizia um colega que conheci na minha recente viagem aos Açores: " Chega-se muito depressa à rua.Eu conheço alguém que tinha uma boa posição e se tornou um sem-abrigo ... com aviso prévio !".
Não me quero alogar mais por agora. Por isso, vos deixo para reflexão uma das mais lúcidas e corajosas denúncias de todos os tempos e que tive a felicidade de ouvir cantada ao vivo, em Setúbal, pela voz única do seu criador : José Afons 
  
                                OS  VAMPIROS
No céu cinzento
Sob o astro mudo
Batendo as asas
Pela noite calada
Vêm em bandos
Com pés de veludo
Chupar o sangue
Fresco da manada
Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada
A toda a parte
Chegam os vampiros
Poisam nos prédios
Poisam nas calçadas
Trazem no ventre
Despojos antigos
Mas nada os prende
às vidas acabadas
São os mordomos
Do Universo todo
Senhores à força
Mandadores sem lei
Enchem as tulhas
Bebem vinho novo
Dançam a ronda
No pinhal do rei
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada
No chão do medo
Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos
Na noite abafada
Jazem nos fossos
Vítimas dum credo
E não se esgota
O sangue da manada
Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada.
Assim se explica o inaudito, isto é, que o rendimento de quinhentas das pessoas mais ricas do planeta seja igual ao de quatrocentos e dezasseis milhões de pessoas pobres !!!!
E ainda há idiotas a pensar que a História chegou ao fim?!
sinto-me: ULTRAJADA!!!
música/livro: "OS VAMPIROS" - ZECA AFONSO
publicado por São Banza às 11:22
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (22) | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

POESIA DE RESISTÊNCIA

Porque a luta continua e encontrei neste mundo da Internet, graças a Deus, pessoas que partilham estas minhas preocupações quanto ao futuro do país  e que , para cúmulo, têm sensibilidade e talento , vou partilhar convosco um bom exemplo da nova poesia de resistência, com a devida vénia a Ecos da Verdade donde o "roubei"...mas após aviso ao meu caro Vicente, que o escreveu.

O galo cantou

na noite escura

e não se queria calar...

Veio o Senhor

com o cutelo

para o matar...

O galo viu-o ao longe

mas não se quis calar...

E quando ao almoço

se gabava a cabidela

na mesa dos senhores

continuava na cela

o Homem por acordar...

Boa semana...e tenhamos esperança e garra!

sinto-me: Enganada.
música/livro: José Afonso - "Venham mais cinco"
publicado por São Banza às 01:01
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (16) | favorito
|
Sábado, 20 de Outubro de 2007

INFORMAÇÃO

Só uma nota para vos informar que já podem ver fotografias em:

http://ourocru.spaces.live.com/

Bom fim-de-semana a quem me dá o gosto das suas visitas!!!

sinto-me: Num céu azul...
música/livro: Livro: "Poesia Completa" - Miguel Torga
publicado por São Banza às 13:10
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (8) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

NOVA POESIA DE RESISTÊNCIA

Vinha falar-vos de viagens: há oito meses atrás passei uns dias na Cantábria e nas Astúrias .Mais uma vez me maravilhei com a garganta que nos leva a Potes, indo desta vez até Fuente Dé . As montanhas negras, com neve salpicando as encostas, pareciam bolos de chocolate gigantes salpicados de acúcar , oferecidos à gula de viajantes incansáveis.Que é o meu caso!

Porém, "outros valores mais se alevantam"e, após a consumação de algo tão lesivo para quem labora como é a flexigurança, não posso deixar de partilhar convosco um exemplar poema da nova poesia de resistência do meu querido amigo João Carlos P.( homem de luta e sensibilidade).

No primeiro diploma,

Congelaram as progressões,

Acabaram os escalões,

E não dizemos nada.

No segundo diploma,

Aumentam o tempo das reformas,

Mexem em todas as normas,

E não dizemos nada.

No terceiro diploma,

Alteram o sistema de saúde,

Há um controlo amiúde,

E não dizemos nada.

No quarto diploma,

Criam-se informações,

Geram-se várias divisões,

E não dizemos nada.

No quinto diploma,

Passa a haver segredo,

As pessoas vivem com medo,

E nós não dizemos nada.

Até que um dia,

O emprego já não é nosso,

Tiram-nos a carne   fica o osso,

E já não podemos dizer nada.

Porque a luta não foi travada,

A revolta foi dominada,

E a garganta está amordaçada.

Mas, ontem, duzentas mil pesoas gritaram bem alto em Lisboa que ainda há quem lute!

 

sinto-me: Frustrada
música/livro: José Afonso-"O QUE FAZ FALTA"
publicado por São Banza às 12:21
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (18) | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

"LUZ ENCERRADA"

Após os excelentes poetas que partilhámos, é muita ousadia oferecer-vos um poemeto meu. Mas, como diz a sabedoria popular portuguesa, "quem dá o que tem, a mais não é obrigado."

Permitam-me destacar de entre vós, a Elvira ... pois ela dá-me a graça de ser minha amiga desde 1983, além de ter a generosidade de apreciar os meus poemas!

 

                                           LUZ  ENCERRADA

A luz

Encerrou-se

Sobre

Si própria

E dentro

Das paredes

Nuas

Nada mais

Existe

Além de

Solidão:

O gume

Das sombras

Envolve

Tão violento

A pele,

Que as flores

Explodem

De pranto.

Depois

Do fim,

Deuses

Já mortos

Acariciam

Os fantasmas

Assassinos

De mim,

Mostrando

As fauces

Dispostas

A  devorar

O Sol.

No ventre

Da loucura

O sangue

Rende-se

Ao abandono

Que nem

Os espelhos

Negaram.

 

 

São Banza - 19/6/1985 

sinto-me: A sorrir amarelo...
música/livro: Adriano Correia de Oliveira
publicado por São Banza às 00:23
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (18) | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2007

DIES IRAE

Em honra do grande poeta e lutador pela liberdade que foi Miguel Torga, em cuja comemoração do primeiro centenário o actual Governo não se fez representar ao mais alto nível, e , de maneira especial para o meu caro amigo Vicente aqui vos deixo um dos seus poemas de luta.

                       DIES IRAE

Apetece cantar, mas ninguém canta.

Apetece chorar, mas ninguém chora.

Um fantasma levanta

A mão do medo sobre a nossa hora.

Apetece gritar, mas ninguém grita.

Apetece fugir, mas  ninguém foge.

Um fantasma limita

Todo o futuro a este dia de hoje.

Apetece morrer, mas ninguém morre.

Apetece matar, mas ninguém mata.

Um fantasma percorre

Os motins onde a alma se arrebata.

Oh! maldição do tempo em que vivemos,

Sepultura de grades cinzeladas

Que deixam ver a vida que não temos

E as angústias paradas!

sinto-me: Torga, estrela da nossa poesia
música/livro: Jacques Brel -" Les Vieux Amants"
publicado por São Banza às 00:20
link do post | Que diz ? | Outras pessoas disseram... (23) | favorito
|

.Conheça-me melhor

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. NATAL

. FLORBELA ESPANCA

. A FERNANDO PEIXOTO

. JOGOS PARA-OLÍMPICOS 2008

. DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA

. QUEDA COM HISTÓRIA

. TEMPO DE REPOUSO

. " A CATEDRAL"

. INFORMAÇÃO

. ABRIL : LIBERDADE !

.Memórias

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds